De Joelhos

Letra - Edgard de Oliveira Barros
Música - Roney Signorini

Eu vou ficar de joelhos, eu vou he dar uns conselhos,
Mude o seu jeito de ser
Eu quero você contente e diferente de toda essa gente
Nem que seja por um momento.
Foi você quem disse mas eu também já cansei dessa mesmice,
Da agonia desse dia-a-dia.
É incrível mas tudo que foi nosso ficou muito previsível.
O mesmo beijo, o mesmo gosto, o mesmo gozo, o mesmo alô, o mesmo gesto, o até logo.
A mesma noite, a mesma chuva, tudo sem sal e sem pimenta.
Vê se me tenta, vê se me esquenta, vê se me agüenta.
Vê se me chama, me incendeia, vê se me beija de boca cheia.
Me surpreenda com uma oferenda, me põe na vida, me conte um sonho, me
tira do sério, me vira do avesso porque é isso o que eu mereço.
Não quero nada previsível pois o que está aí é horrível.
Eu quero a sua surpresa, eu quero ser sua presa.
Me chame, me pega, me lave, me leve, me ame, me engane.
Eu quero que o mundo lamente.