Alguns Instantâneos sobre a Internet

25 fev

A Internet está se transformando na praça
central da aldeia global do amanhã.
Bil Gates

A história da Internet todos conhecem mas vale aqui relembrar alguns poucos fatos permitindo adentrar na coluna vertebral do artigo de hoje no qual se pretende refletir um pouco sobre as vantagens e desvantagens, os aspectos positivos  negativos desse fenômeno.

A internet surgiu a partir de pesquisas militares no auge da Guerra Fria. Na década de 1960 (1969), quando dois blocos ideológicos e politicamente antagônicos exerciam enorme controle e influência no mundo. Qualquer mecanismo, qualquer inovação, qualquer ferramenta nova poderia contribuir nessa disputa liderada pela União Soviética e pelos Estados Unidos: as duas superpotências compreendiam a eficácia e necessidade absoluta dos meios de comunicação. Nos EUA era preciso, portanto, criar uma rede, a ARPANET, desenvolvida pela ARPA, sigla para Advanced Research Projects Agency.

Um ataque inimigo nunca aconteceu, mas o que o Departamento de Defesa dos Estados Unidos não sabia era que dava início ao maior fenômeno midiático do século 20′, único meio de comunicação que em apenas 4 anos conseguiria atingir cerca de 50 milhões de pessoas.

A ARPANET começou a ter dificuldades em administrar todo o sistema, devido ao grande e crescente número de localidades universitárias que passou a abrigar. Daí a divisão do sistema em dois grupos, a MILNET, que possuía as localidades militares e a nova ARPANET, que possuía as localidades não militares. O desenvolvimento da rede, nesse ambiente mais livre, pôde então acontecer.

Não só os pesquisadores como também os alunos e os amigos dos alunos, tiveram acesso aos estudos já empreendidos e somaram esforços para aperfeiçoá-los. Houve uma época nos Estados Unidos em que sequer se cogitava a possibilidade de comprar computadores prontos, já que a diversão estava em montá-los.

A mesma lógica se deu com a Internet. Jovens da contracultura, ideologicamente engajados em uma utopia de difusão da informação, contribuíram decisivamente para a formação da Internet como hoje é conhecida. O sociólogo espanhol e estudioso da rede Manuel Castells afirmou no livro A Galáxia da Internet (2003) que a Internet é, acima de tudo, uma criação cultural.

Um sistema técnico denominado Protocolo de Internet (Internet Protocol) permitia que o tráfego de informações fosse encaminhado de uma rede para outra. Todas as redes conectadas pelo endereço IP na Internet comunicam-se para que todas possam trocar mensagens.

Através da National Science Foundation, o governo norte-americano investiu na criação de backbones (espinha dorsal), que são poderosos computadores conectados por linhas que tem a capacidade de dar vazão a grandes fluxos de dados, como canais de fibra óptica, elos de satélite e elos de transmissão por rádio. Além desses backbones, existem os criados por empresas particulares.

A elas são conectadas redes menores, de forma mais ou menos anárquica. É basicamente isto que consiste a Internet, que não tem um dono específico.

O cientista Tim Berners-Lee  criou a World Wide Web em 1992.

A empresa norte-americana Netscape criou o protocolo HTTPS (HyperText Transfer Protocol Secure), possibilitando o envio de dados criptografados para transações comercias pela internet.

Por fim, vale destacar que em 1992, o então senador Al Gore, já falava na Superhighway of Information. Essa “superestrada da informação” tinha como unidade básica de funcionamento a troca, compartilhamento e fluxo contínuo de informações pelos quatro cantos do mundo através de uma rede mundial, a Internet.  Até 2003, cerca de mais de 600 milhões de pessoas estavam conectadas à rede. Segundo a Internet World Estatistics, em junho de 2007 este número se aproxima de 1 bilhão e 234 milhões de usuários. Hoje já ultrapassa os 2 bilhões.

A chegada da internet foi algo revolucionário, a facilidade de acesso a informações de forma rápida, planetária, é algo que realmente faz a diferença.
Se a tecnologia da informação é hoje o que a eletricidade foi na era industrial, em nossa época a internet pode(ria) ser equiparada tanto a uma rede elétrica quanto ao motor elétrico, em razão de sua capacidade de distribuir a força da informação por todo o domínio da atividade humana.

A internet ligou um mundo inteiro na mesma rede. Não há limites para a conexão de duas ou mais pessoas desde que tenham interesses comuns e a distância deixará de existir, trazendo muitos benefícios à sociedade já que a informação, cultura e educação deixam de ser privilégio de alguns mas também se pode considerar que é uma condição óbvia a existência de dois lados da internet, um positivo e outro negativo. Alguns aspectos positivos são

  • Facilidade de busca por informação;
  • Agilidade e velocidade nas trocas de informação;
  • Maior diversidade nas relações profissionais e pessoais;
  • Facilidade de pesquisa;
  • Centro de informação e entretenimento;
  • Liberdade de escolha de acesso a todos que a possuem;
  • Compra e venda a nível internacional;
  • Aglomeração dos outros meios midiáticos;
  • Conteúdos variados para pesquisa;
  • Entretenimento “barato”;
  • Superação de distâncias.

Mas mesmo a internet sendo uma rede que ajuda, ela pode trazer malefícios.

Alguns pontos negativos são:

  • Nem toda informação tem fonte segura;
  • A rapidez com que se obtém uma informação, aparentemente correta, impede que haja uma seleção da mesma;
  • Relações profissionais equiparadas ao imediatismo da internet e a possibilidade de obter falsas relações pessoais;
  • Uso indiscriminado de informações errôneas;
  • Uso indevido de imagens e informações pessoais;
  • Portas abertas para crimes e abusos;
  • Pornografia infantil e adulta sem restrição de acesso;
  • Vírus destrutivos e nocivos, spams;
  • Decadência de cultura “manuscrita” e verbal;
  • Informações inconsistentes;
  • A facilidade em conseguir informações pela Internet pode deixar o ser humano mais preguiçoso e acostumado ao mundo fast;
  • Jogos, e entretenimentos ocupam muito tempo ocioso, que poderia ser mais bem aproveitado ao lado de uma pessoa real ou com a família;
  • Roubo de Informações e Crimes Virtuais.

Os pontos positivos e negativos acima estão numa relação generalista.
Queiramos setorizar ou avaliar áreas / setores naturalmente adotaríamos o critério de perfis ou portfólios específicos, como por exemplo o campo da publicidade, quando usa a internet como suporte. Nesse particular é possível destacar que os pontos positivos são:

– Chega a novos públicos, especialmente aos que não estão muito ligados à televisão e à imprensa, tornando-se assim um bom meio para os alcançar;

– É um meio muito mais barato do que os meios tradicionais;

– Publicidade a Longa Distância, pode-se anunciar para o mundo inteiro em um único meio;

– Em teoria podemos avaliar os resultados da publicidade. conseguindo saber o número de vezes que o anúncio foi visto, durante quanto tempo e fazer avaliações quantitativas semanais ou mesmo diárias;

– A publicidade na Internet admite uma ligação imediata entre consumidor e empresa ou marca, algo que os meios tradicionais não permitem. A publicidade na Internet elimina a barreira que existia entre produto e consumidor, sendo possível à empresa anunciante até mesmo demonstrar o produto ou responder as dúvidas diretas do internauta;

– O tempo necessário para “colocar no ar” uma campanha publicitária é bem  menor do que a publicidade tradicional;

– As mensagens publicitárias na Internet podem ser muito mais dirigidas do que as tradicionais;

– Os anúncios na Internet estão disponíveis 24h e podem estar expostos durante muito tempo, já que o custo de aluguel de espaço é relativamente baixo.

Hoje deixo de tocar no maior “freguês” da internet, as redes sociais, porque merecem um artigo exclusivo, plataforma que não é de ninguém, não tem dono ou proprietário. Fica para a próxima semana.